1

Educar X Criar

Por: Mônica de Souza Rodrigues

download (2)

Criar e educar são a mesma coisa? Ou são funções que se assemelham? Ou são opostos? Afinal, o que significa criar e/ou educar???

A função de criar e educar uma criança requer muita responsabilidade de quem se dispõe a tal oficio. Além disso, também exige muita dedicação, disciplina, sabedoria e, sobretudo, muito amor.

download (1)

Educar e criar se parecem muito, afinal fazem parte do desenvolvimento emocional e cognitivo de uma criança! Para mim, criar é dar o alimento, o vestuário, moradia, estudo…enfim, dar o sustento, dar condições de sobrevivencia a uma pessoa. Já educar….ah! é bem mais difícil! Você tem que dar educação, ensinar boas maneiras, respeitar as pessoas, as diferenças, ensinar a escolher o melhor caminho, mas qual é o melhor caminho? Nem a gente sabe ao certo…Sabemos que é errado roubar, matar, ferir,ofender… Sabemos que devemos ensinar as palavrinhas mágicas como muito obrigado, por favor, desculpa, com licença, ensinar bons modos, dar limites, dizer Não. Nossa, é muito difícil essa tarefa: Educar o filho para o mundo e para os percalços que ele nos remete!!!

educação

Nos dias de hoje, tem muitos pais transferindo a sua tarefa de educar para a escola. Acreditam que porque pagam altas mensalidades a escola tem o dever de fazer a parte que lhes cabe, colocando no mundo crianças sem limites, gerando adultos inconseqüentes que acham que o dinheiro compra tudo. Hoje temos professores apanhando em sala de aula. Que absurdo! Que falta de respeito e de educação!!!

1-Educar é permitir e proibir

Educação, taí a palavra chave. Essas crianças inconseqüentes foram criadas, não educadas!

como-educar-filho-unico

De acordo com a quarentando Juliana, a gente cria tudo…pode-se criar galinhas, porcos, expectativas….e filhos. Já educar, precisa de doação. Dá muito mais trabalho! Exige comprometimento e para isso tem que ter amor, caso contrario, só se cria mesmo! Ela ainda cita a famosa frase do psiquiatra e educador, Içami Tiba, Quem ama educa!

9523852014-05-11 12.19.13

E o que nos diz a voz da experiência??  Praticamente contrariando tudo o que foi dito até agora, mas ao mesmo tempo completando as idéias já expressadas… a professora de primario aposentada, Claire Maria de Souza, minha mãe e mestre na arte de educar e aconselhar, nos diz que Criar é dar existência, é originar. O criador tem autoridade sobre sua obra, ou seja, a criatura e tudo que é criado é de responsabilidade de quem o deu vida, o criou e o gerou. Criar uma obra ou uma arte é um privilégio que dá legítimos poderes ao seu autor.

DSCN1292

Criar um filho é poder comparar-se a um artista: é moldar, lapidar sua obra prima para que se transforme na mais bela e perfeita criatura. É cooperar com Deus na sua obra da criação.

Educar é dar condições de crescimento intelectual, emocional, espiritual e investir na sua formação humana, social e profissional. Para criar e para educar é preciso amar. Exige doação, paciência, confiança, determinação e bons exemplos.

4-principios-bsicos-da-educao-25-728

E você concorda com nossas opiniões? Acho o tema um tanto quanto complexo para encerrar o texto por aqui. Por isso, deixo o final aberto…esperando os comentários de vocês…

moni assinatura

Botao

1

Sejamos infiéis

Por: Helck Souza

Não quero aqui discursar de modo culpabilizante, apontando quem faz certo ou errado, até porque o certo ou o errado é uma questão de perspectiva. E, muitas vezes, a transgressão é o maior atrativo para a infidelidade.

8419616322985547

No meu caso, não me encaixo no certo nem no errado, muito menos no que é transgressivo. Sou fiel àquele que agrega ao relacionamento, quando não agrega eu simplesmente descarto e procuro logo um substituto à altura. Como é o caso, por exemplo, do sabão em pó. Se ele não oferece o “branco que a minha família merece”, dispenso e procuro outro. Por mais que, na tentativa de me convencer, ouço ou vejo dizerem: “Ah! se todo branco fosse assim”. Desculpa, mas se todo branco fosse assim, não seria branco, pelo menos não aqui em casa. Então, mudo logo, procuro por outro… Aventurei-me nos sabões líquidos e vi que além de mais econômicos, deixam um cheirinho gostoso nas roupas.

editoria_neg_20130228_e

Se o produto não cumpre o que promete, na próxima ida ao mercado compro outra marca até encontrar uma que se adeque a minha necessidade. E agora, com essa crise que está batendo em nossa porta, a seara do consumismo individual vai sendo freada. O aumento das despesas fixas, como energia elétrica, água, gás, combustíveis, etc, repercutem em todos os lados. É perceptível no bolso, a cada vez que vamos ao mercado, que o produto tem um preço diferente. Com isso, a fidelização para com as marcas está se ruindo pois o consumidor está buscando alternativas para fazer render o seu dinheiro.

cofrinho-porcomagro

Vamos agora presenciar a muitas brigas de cachorro grande, as agências de marketing terão que ser mais que criativas para àqueles que até então se identificavam com as marcas.  O velho clichê “crise é oportunidade”, oferecerá às pessoas a oportunidade para repensarem antes do impulso de comprar. Teremos um percurso doloroso pela frente, principalmente para quem está nadando a favor dessa corrente até então desenfreada.

porta-moedas-porquinho-20505-MLB20192226217_112014-F

Há pouco mais de dois meses para o Natal, aposto no “Natal do consumismo consciente”, em que a oferta será maior que a procura ou, ainda, a oferta deverá ser muito atrativa para fisgar o consumidor. Agora, mais do que nunca, reciclagem é a palavra da vez. E, finalmente, o consumidor será infiel às marcas e fiel ao seu bolso, à sua realidade.

helck assinatura

Helck Souza

Botao

1

Tem dia que não dá de jogar o jogo do contente!

Por: Maria José Klein

Tem dias não dá, e que ‘o jogo do contente’, da Pollyanna, não funciona! Onde tudo que acontece de ruim, de triste, de maldoso, não poderá ser melhorado com uma mudança de atitude diante do problema.

Pra você que não conhece ‘o jogo do contente’ da Pollyana, e ainda não leu o livro escrito por Eleanor H. Porter, aqui abro a descrição encontrada no site da livraria Saraiva (http://www.saraiva.com.br/pollyanna-3410130.html):

Embarque na emocionante história da doce Pollyanna, que, após ficar órfã aos 11 anos, vai morar com a sua amarga tia. Essa convivência, aparentemente impossível, vai transformar a vida de ambas e de todos à sua volta. Este livro, um dos mais traduzidos e adaptados romances do século XX, carrega a intensa mensagem positiva de que todas as coisas podem ser melhores, dependendo da forma como as olhamos

Pollyanna

Livro Pollyanna de Eleanor H. Porter

Pois é, tem dias que não é bem assim que acontece, que tudo que olhamos está turvado, e nem adianta dizer que pensamentos positivos atraem coisas positivas, e que o Lado Negro da Força é um lado que deve ficar oculto e não deve ser acessado! Na verdade, só o que parece funcionar é a manifestação do Darth Vader que existe por dentro, o coitado do Yoda fica lá, quietinho, tira folga, nem aparece, pois será dizimado com sarcasmo e indiferença.

Yoda e Vader

 É, e não me venha pra cá com historinha de TPM, e coisa e tal, que eu vou te dizer pra onde você deve ir! Não, esse humor não depende de TPM, isso acontece por acúmulo de outros dias como este, que foram sufocados pela obrigação de se manter o pensamento positivo, de se mostrar radiante, e sem problema nenhum.

Ter pensamentos positivos 100% do tempo é difícil. Quer ver quando tudo começa a dar errado ao seu redor, ou as coisas começam a acontecer diferente do que você planejou, isso que eu não estou nem falando de crise econômica. Ou seja, tudo que eu estou falando aqui, não é relacionado à crise que estamos enfrentando no país, por conta dos governantes de merda que nós mesmos elegemos (apesar de que eu não voltei na atual presidente!).

Nestes dias, até as divindades são questionadas, e é até bom, deixar um pouco Deus descansar de tanto pedido, ficar um pouco ‘por conta’, assumir a responsabilidade sobre as coisas que se faz, sem jogar tudo na conta de Deus, Anjos e Santos, que não atenderam certo pedido, ou uma certa oração. Vamos lá, não quero dizer que tem que parar de rezar, e sim, que nestes dias de pouca luz, até as divindades não existem, e somos obrigados a aceitar que a responsabilidade sobre as coisas que acontecem em nossas vidas é apenas nossa, é resultado de escolhas feitas apenas por nós mesmos.

Às vezes, precisamos mesmo destes dias sombrios, não que eu goste, aliás, eu odeio, e luto veementemente contra eles, mas estes dias horrendos nos deixam alerta, nos mostram fraquezas, e as arestas que devemos aparar em alguns lugares, nos relacionamentos, na nossa própria vida.

Mesmo esses dias, regidos sob o Lado Negro da Força nos fazem melhores, nos fazem crescer. Às vezes, não conseguir o que se quer é exatamente aquilo que você precisa! Bom dia negro pra você também.

Maria jose assinatura

Maria José Klein

Botao